Garofalo junta-se ao cinema
16-07-2010

Garofalo junta-se ao cinema

A marca Garofalo mostrou como o sabor é importante, mesmo para as crianças, em “Solo un padre” de Luca Lucini, em como somos bons em “Commediasexi” por Alessandro D’Alatri, e em como adoramos trazer a qualidade e o sabor italiano ao redor do mundo em “Lezioni di Volo” por Francesca Archibugi.
Apresentamos o amor em “Ci sta un francese, un inglese e un napoletano” e como éramos na época de Napoleão, em #N – Io e Napoleone” por Paolo Virzì. Mostrámos como a qualidade pode trazer a paz em “La cura del gorila”, como um belo jantar pode ser uma memória comovente e bela, em “Saturno Contro” por Ferzan Ozpetek e em como pode ser tremendamente divertido, em “Mi fido di te”.
Entrámos no autocarro Notturno; estávamos ao lado de Riccardo Scamarcio, em Colpo d’Occhio de Sergio Rubini.

Fomos os primeiros a assinar um acordo com a Cinecittà Holding Instituto Luce e a colaboramos com o Curso de Cinema de Gianni Canova, no IULM para fazer um longa-metragem junto dos alunos.

Quem quer trabalhar Cinema? Se nos perguntarem porque investimos e por que continuamos a investir em filmes, daremos resposta de sempre: porque gostamos. Gostamos de pensar que temos uma história bonita para contar, mas sabemos que existem outras histórias mais bonitas que a nossa e que merecem ser contadas.

Gostamos de pensar que graças a nós, essas histórias foram muito bem contadas. Em troca, pedimos para sermos contados nessas histórias; alguns chamam posicionamento de produto, nós podemos chamar: voar.
Porque se os filmes italianos têm os mais belos aviões acrobáticos do mundo, tivemos a sorte de estar sentados ao lado dos pilotos.

Obviamente, como é da nossa natureza, começámos a gostar e agora tentamos ajudá-los a subir sozinhos, naquelas máquinas fascinantes chamadas filmes. Coproduzimos Alchimia del Gusto com a FOX, um curta-metragem de Edo Tagliavini com Alessandro Preziosi. Foram os nossos primeiros testes de voo solitários. Mais tarde, produzimos inteiramente a Questione di gusti de Pappi Corsicato, com Ennio Fantastichini e Iaia Forte.

Para a terceira curta-metragem a Garofalo escolheu Valeria Golino, premiada com o Nastro d’Argento pela sua estreia como diretora e pela primeira vez atrás das câmaras de “Armandino e il Madre”: uma história de amor entre as belas salas de um museu de arte contemporânea no centro histórico de Nápoles.
Por fim, The Wholly Family, escrito e dirigido por Terry Gilliam e Caserta Palace Dream por James McTigue, a sua última curta-metragem.

Estas curtas-metragens e outros que estão prontos para descolar, falam de nós de alguma maneira e de como sempre procurámos o sabor e o equilíbrio em tudo o que fazemos: mesmo que gostemos de voar como fabricantes de massas, sabemos que nossa missão é oferecer a melhor massa. Coma e voe connosco.

Descubra mais

Também pode gostar

Garofalo

Garofalo chegou à tv com “A boa massa não mente”

Leia o artigo
Garofalo

Redes Sociais

Leia o artigo